MotoClube Joinville - 60 anos













Doravante vai começar um pouco da historia do Moto Clube de Joinville

A FOTO 01= visão parcial do Mostra uma Moto clube de Joinville da época de 1979

Nos campeonatos Catarinenses o publico fazia-se presente e muito bem.

Isto quando dava sol à semana toda.

Foto 02 = Mostra nos domingos de manha os motociclistas chegando ao MCJ.















Foto 03 = Mostra a presença das mulheres dando suas participações nos eventos do clube

Foto 04 =Mostra o famoso Barracão e se vê que o motociclista comparecia com sua moto seja qual fosse a cilindrada. (Vinham)













Foto 05 = Mostra como era bonita ver as motos na sua própria casa de eventos.


Foto 06 = Muitos já vinha no sábado acampar.











Foto07 = Mostra um /grupo chegando ao Moto Clube com as novas CB 400.

A turma boa do Zanque (da Cabral Motos de Curitiba) sempre fazia sua presença ser um destaque pelo grande numero de motos que vinham, era uma confraternização linda.

Como não posso deixar de destacar o pessoal do Posto Jóia de Floripa, São Bento, Blumenau e outras regiões. A turma era uma moto muito competitiva já.


Foto 08= Início das atividades esportivas que geralmente começava às 9 horas da manha com uma emoção especial >>> tomara que não chova<<<< (com os imprevistos segura um pouco a largada falta este ou aquele) mas, era gostoso


Os membros da diretoria não poderiam chegar atrasados.

7.30 era hora de todos estarem no moto clube e nos seus postos.

O drama era quem tinha de ficar na entrada e na segunda entrada Rua São Bento que fizessem fundos e assim evitar os furões porque o moto clube não era cercado e os vizinhos facilitavam a entrada deste > como diz a gíria: o pau comia sempre.

Pois publico significa renda e o Sr. Waldemar cobravam resultados sempre...

Mas... Tudo se compreendia no final numa boa...















Foto 09 = Preparativos de uma largada e largada era o Presidente que dava e ninguém mais (Sr. Waldemar)


Foto10 = Mostra a largada em si...















Foto11 = Curva do Barracão = Era uma curva temida por todos pela sua extensão

Era curva de mostrar quem era o bom da corrida: era acelerar fundo se não era chão ou se podava na raça mesmo.


Foto 12 = Mostra outra largada numa prova significativa e que de o publico?

Chovia muito na época também e a entrada de caixa era mínima

– Joinville era uma cidade pequena ainda.

Era o pavor de todos da diretoria > tudo era encomendado para cozinha e troféus comprados, pois, muitas vezes não tinha o patrocínio não cobria nem 30% e daí ?

O Sr.Waldemar tinha de bancar ate a próxima corrida... Ele era salvação (sempre).

Não esquecendo o sacrifico nos preparativos da pista é bom nem falar (centenas de horas consumidas com maquinas e limpeza do terreno em especial consumidas do saudoso Sr. Waldemar e porque não dizer da família dele toda no contexto geral .

Mas na boa graça do Nosso Deus as corridas saiam sim na maioria e bem.
















Foto 13 Mostra a torre de cronometragem palco de momentos emocionantes quando os pilotos oportunistas apareciam, mas, tudo se dava uma solução quando Sr. Waldemar aparecia todos se calavam e apaziguava os Amin os deste ou daquele este ou aquele fato saia o empate com troféus para as partes. (não podia haver injustiça)

(Pois o ser humano com tantos pilotos ate poderia cometer falhas)


Foto 14 Mostra mais uma parte da pista a temida entrada da reta, ate as 10 horas da manha era temido por todos pela umidade que ficava nesta.













Foto 15 Mostra a poeira que as motos faziam na curva superior seguido de uma curva perigosíssima como era conhecida de engana bobo. Como a da final da reta >>> era muita gente passando reto.

(Mostra provas de pouco publico, mas, os troféus tinha de sair)


Foto16 - Não poderia de dar minhas participações quando a maré era boa.

Assim tive dois primeiros lugares e um segundo.

Com os amigos dando aquela força o nosso amigo Curupa de Corupá (Edi Haipel)













Foto 17= Mais uma vez a Presença do Sr. Waldemar dando a largada - dono da bola 7

(Assim respeitado por todos).


Foto 18= Largada e o bicho pegava na poeira salve-se quem puder no final da reta e no barracão .














Foto 19-Era ele que dava a chegada e não tinha metidos...


Foto 20 - Mais uma foto do barracão e um piloto pequeno dando sua exibição




















Foto 21 = Emoção total no MOTO CLUBE DE JOINVILLE quando vinha a autoridade máxima da época do MOTO CROSS Sr. Nivanor Bernardes .

Repito >> ai era casa cheia com os furões juntamente (era bonito de ver) em gente em cima de arvores etc. mas tudo era festa em prol do publico presente com belas podadas.

Os grandes pegas da época: ( O foco era o Baumer...)


Baumer x Nivanor Bernardes

Baumer x Bira

Baumer x Ber

Baumer x Paulo Machado.

Baumer x Posto Jóia x Toni x Tiao e Blumenau x Macuco x demais que não me recordo os nomes de todos >>> A largada era emocionante como a corrida em si

O bico pegava bonito, da lê pó na gare lera que torcia mesmo. (Paraná x S.Catarina)

Serviço de Bar que era comandado pela esposa e filhas do Sr.Waldemar; era Cerveja era congelando na ser agem e da lê no almoço churrasco e cachorro quente.

(Eta cachorro quente... que o Waldemar nos servia )

Quando sobrava comida para a comissão organizadora, tudo se fazia em prol do esporte.

A época não era fácil... Hoje é tudo nas fres curas nas corridas...

(Não faço, não vou se o meu jabá...não esta garantido).


Foto 22 = O Moto Clube de Joinville não tinha muitas tradições em corridas de Cross era mais MOTO VELOCIDADE.

















FOTO 23 E 24 iden - Era melhor dar preferência do que ser xingada ( os bons tempos)

Curva da subida mais conhecida do pistão >>pois ali >>> era o tira teima das motos

Alguma moto abria as pernas nesta subida ...pois tinham de exigir o Maximo do motor para entrarem embalados na reta e muitas vezes o motor não resistia o giro e babau.



















Foto 25 o Ber de São Bento e seus assistentes vinham em peso e não tinha chance correr mesmo e o foco era o Baumer.... Não desgruda dele... Ber fofocavam.


Foto 26 As motos cross com seu aparecimento nas pistas hummmmm....









Foto 27 Outra etapa >>>>Como sempre o Paulo contestava sua colocação coisas de corrida era um saro..., mas, depois se ganhava era o bom da bola 7 e tudo era 10.


Foto28 = Largada tudo pronto e do Lado meu amigo Rolf > recordações de viagens....





















Foto29 - BAUMER... Número 02 COM SUA XL TODA PREPARADA na ponta dano seu show de pilotagem e quando corria com a RD350 mais conhecida como viúva negra. (pois era mais xucra que um cavalo selvagem) era o temido por todos no domingo no moto clube.

(Não tinha moleza tudo ou nada)

Difícil ver esta garra toda hoje e preparos das motos assim....


IMPRENSA = TINHA SEU DESTAQUE MUITO ESPECIAL NESTA EPOCA POR PATE DO JORNAL A NOTICIA.

Davam um toque especial nos eventos com o Peninha e Maciel a tal ponto que a gente levantava cedo para aguardar abrir a banca da revista da 9 De Março , comprar o jornal VER AS NOTICIAS DA CORRIDA e daí se deslocar ao MOTO CLUBE e dava Baumer (Tilo) x Nivanor x Bira era casa cheia.

Hoje a imprensa é diferente não core tão atrás >>se não receber as coisa meio mastigado quase nada sai no jornal mesmo tendo o Google para pesquisa pelas federações de todo o pais na palma da mão as programações e resultados.

Foto 30 = O moto clube tinha sua parte social e muito boa

Organizávamos os passeios e de confraternização.

Na aquela época chegar de moto numa cidade ou em grupos>> o prefeito só faltava dar a chave da cidade (éramos respeitados e o prefeito sabia que a turma sempre deixava uma grana na cidade) como já citei era bom demais ser motociclista nesta época 79/90.




















Foto 31 - O nosso amigo VIGANDO e colaborador firme e nas viagens sempre tinha sua colher de chá em pilotar uma moto especial como esta GL1.000 Honda.

Um das viagens preferidas quando não tinha corrida era irmos a Laguna....


Foto 32 - Em Rio Negro numa das provas do Brasileiro de Cross na pista do Sr. Walter Fefer com destaque as grandes motos e dentre estas que vieram de uma viagem internacional o João Hansen Neto, Amauri Olsen e Baumer (momentos de confraternização com a família e amigos nesta pista).

Vejam a força do publico era impressionante valia tudo ate de caminhão vinham.















Foto 34 viagem a União da Vitória como já havia racionamento de combustível tudo era difícil.

Desta forma o PAULO BB cedia seu Passat e era o posto de gasolina auxiliar de todos

Foto 33 – O charme da viagem era encontrar o pessoal de Curitiba e daí ate Rio Negro era pedir a pretensão de Deus e acelerar o Máximo, mas: tudo muito bem consciente.

- Volta era por Campo Alegre éramos surpreendidos pela chuva uma aventura de não se esquecer aventura total daí e lama > (Saudoso Rui Aguiar com sua nova moto CG) Antonio carlos com sua CB500 esportiva e minha CB 500 four original.

O drama era na segunda limpar as motos e as deixar tinindo de novo, mas, no final era um prazer de ver estas motos brilhando de novo e prontas para próxima viagem.














Foto 35 = O moto clube nunca deixou de participar nos eventos de 9 de Março assim se vê os preparativos de saída.


Foto 36 = Assim, depois do desfile de 9 de Março, saímos para Jaraguá do sul e aquela parada para fumar e tirar foto pelo Garrincha (também) e Jaci e demais


.













Foto 37 = Depois de um desfile de 07 de Setembro nada melhor depois que uma gelada

Dispensa comentários (conhecem o cabeludo?) Celso.


Foto 38 = No final do desfile era uma parada obrigatória na sorveteria Polar na XV.


























Foto 39 = Tivemos também em São Paulo prestigiando o Baumer (Tilo) em Interlagos.

Foto 40, 41,42 Mais outra prova com um publico Record era coisa linda e a sua organização. (Coisa organizada da e da certo.) Como sempre tínhamos o Saldos colega Mario Meetz que motivava e prestigiava estes eventos e o seu tradicional jantar das quintas. E outros.



















Foto 43 – O Walter Feefer de Rio Negro mando ver seu primeiro lugar .

Foto 44 – Pista em si Foto 45 - Motociclistas participavam de forma muito especial em corridas diferentes como no autodronomo de Curitiba (Pinhais)










































Foto 46, 47 - Mostram de outros eventos que o moto clube fazia nos finais de semana quando não tinha corridas oficiais org.por Valério que faziam suas historias da época com mais uma prova de ASES DO PASSADO.

Como o pessoal gostava : descarregar sua adrenalina na pista sentir a emoção de correr.

O Rof de Rio Negrinho com sua potente Brasília 1.800 CC. Amarela não o sossegava.

- Estes eventos até tinha seu troféu e brindes doados; era tirar os pisca e espelho e só.

O nosso saudoso HENPI >> O funileiro para motos:

A arte de fazer escapes especiais.

A arte de recupera as motos em todos os sentidos.

Hoje: Todos nós sentimos a falta de um artesão assim (um Mestre).



















Foto 50 -da Moto chamada viúva negra. (porque) pergunte quem já pilotou uma.


Fotos 51= de recordação de uma GL 1000


















Foto 52 = Nossos passeios (trilhas) já se fazia na época também (Rio Bonito o local)


Foto 53= Recordação (Yamaha 100 e CB) das motos comercializadas na época.
















Foto 54= Eventos>Parada necessária Vindo da Serra da Graciosa (faça sol, faça chuva)

Foto 55- Box do Moto Clube e o drama da maldita rua Campo Alegre que fazia duas divisas com a área do clube e ai a turma queria passar na corrida ou destruir o trecho.

Assim para evitar acidentes: tínhamos de sinalizar e manter permanente um caseiro o qual não morava de raça não.

Mas, tudo era muito bem administrado e mantido em ordem nas nossas gestões e todas e tudo bem documentado e assim feito via atas. (Nada no bla- blá )


















Foto 56 - Moto Clube mais uma vez no desfile de 7 de Setembro

Como mostra o documento abaixo como era a folha oficial de oficio do clube (reduzida) com endereço para correspondências...


Continua na parte 2. [ CLIQUE AQUI PARA VER ]

Bandeira Oficial do Clube

 

© Copyright 2011 – formuladiesel.com – Todos os direitos reservados.